Antigo presidente do Caja Madrid foi encontrado morto, com um ferimento de bala no peito

Antigo presidente do Caja Madrid foi encontrado morto, com um ferimento de bala no peito

Like
319
0
Quarta-feira, 19 Julho 2017
Notícias

O ex-banqueiro espanhol Miguel Blesa, condenado a seis anos de prisão pela rede de corrupção criada à frente do Caja Madrid, foi encontrado morto com um tiro no peito, esta quarta-feira (19) – anunciou a Guarda Civil.

Blesa, de 69 anos, “apareceu numa quinta em Villanueva del Rey, uma localidade de Córdoba, junto a um carro com um ferimento de arma de fogo no peito”, indicou uma porta-voz da Guarda Civil, acrescentando que a morte está a ser investigada.

Fontes policiais citadas pelo El País explicam que Blesa, que esteve à frente do Caja Madrid entre 1996 e 2009, estava numa propriedade de caça. Dizem as mesmas fontes que depois do pequeno-almoço, Miguel Blesa terá dito que ia arrumar o carro, que estava na garagem onde o seu corpo foi encontrado.

O ex-banqueiro foi condenado em março último a seis anos de prisão pelo seu envolvimento no caso dos “cartões black” (negro em inglês, a cor dos cartões de crédito) que a Caja Madrid, que agora se chama Bankia, dava aos seus dirigentes e pessoas de confiança, para pagar despesas pessoais sem limite e sem declarar nada ao fisco.

Miguel Blesa foi presidente da instituição entre 1996 e 2010 e o tribunal considerou-o culpado de se apropriar indevidamente de património, ao gastar 436.688 euros através desse cartão de crédito especial.

Na altura foram condenados mais 64 utilizadores desses cartões, incluindo o seu sucessor no lugar de presidente da instituição, Rodrigo Rato, um ex-ministro das Finanças espanhol e ex-diretor-geral do FMI (Fundo Monetário Internacional).

Blesa foi um dos condenados que apresentou em abril último um recurso à condenação, junto do Tribunal Supremo espanhol, e por essa razão ainda não estava na prisão.

Entre os outros acusados estão numerosos membros do Partido Popular, mas também alguns sindicalistas e membros de partidos de esquerda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *